Meio&Mensagem

Evento ProXXIma

17 E 18 DE NOVEMBRO - WTC SÃO PAULO - SÃO PAULO/SP

As dores e os prazeres de se transformar

Pressionadas pela volatilidade do ambiente digital e as mudanças de hábitos dos consumidores, Coca-Cola e Nestlé compartilham seus caminhos de inovação

Luiz Gustavo Pacete
29 de abril de 2019 - 11h36

De grandes investidores em marketing, Nestlé e Coca-Cola também passaram a incorporar uma série de outras atribuições que passam pela aceleração e investimento em startups, a estruturação de laboratórios próprios de conteúdo e o reforço diário da necessidade de incorporar a mentalidade do fail fast: testar rápido e falhar rápido, para recomeçar e tentar acertar sem perder muito tempo.

Carolina Sevciuc, diretora de transformação digital da Nestlé (Crédito: Arthur Nobre)

Método ágil, cultura maker, prototipagem são termos que, no contexto dessas empresas, precisam ser bem mais do que apenas palavras da moda: devem ser agentes de mudanças e alteração de resultados. Dentro de um contexto de mudanças, as duas empresas apresentam no ProXXIma, dentro no painel “A teoria digital na prática dos anunciantes”, como incorporaram essas novas ferramentas e os cases que desenharam diante dessas transformações.
Realizado pelo Meio & Mensagem, o evento chega à sua 13a edição em 7 e 8 de maio, com conteúdos diversos sobre tecnologia e inovação, incluindo o ponto de vista de profissionais de marketing e grandes anunciantes.

No caso da Nestlé, Carolina Sevciuc, diretora de transformação digital da empresa, explica que esse ambiente volátil, apesar de desafiador, vem direcionando a companhia para novas perspectivas. “A Nestlé está vivenciando uma consistente jornada em direção à transformação digital a fim de entender como desenvolver e entregar produtos e experiências para as pessoas de um jeito cada vez mais inovador e personalizado”, explica. Desde agosto do ano passado, Carolina lidera uma área vital para o futuro da empresa cujos pilares são identificar dores, testar protótipos e formar multiplicadores de inovação em todas as áreas da empresa.

Um dos cases recentes da Nestlé fruto desses processos foi a parceria, no início do ano, com 19 startups que já possuem receita considerável, que estão sendo aceleradas dentro do Programa Scale-Up Endeavor Alimentos e Bebidas. A Nestlé colocou executivos das mais variadas áreas para acompanharem o pitch dessas empresas e identificarem oportunidades. Dali saíram inúmeras parcerias de serviços e também de produtos.

Renato Shiratsu é diretor de inovação da Coca-Cola (Crédito: Divulgação)

Renato Shiratsu é diretor de inovação da Coca-Cola, que vive um contexto muito semelhante ao da Nestlé. O executivo reforça que o desafio, além de incorporar as inovações de modo construtivo, implica também uma concorrência saudável com outros players de seu segmento. “Buscamos estar sempre um passo à frente das tendências e da evolução dos gostos em um mercado em que as demandas do consumidor estão em constante mudança. A transformação digital impulsionou muito a área de inovação e a conexão com as pessoas ficou ainda mais direta, nos dando maior clareza do que desejam. A transformação nos trouxe tanta agilidade que mudou até a definição do que é rápido ou lento para toda a empresa”, afirma Renato.

Sua área foi responsável, no segundo semestre do ano passado, por diversos lançamentos que surgiram de metodologias ágeis e processos de prototipagem. Entre eles, a criação da bebida gaseificada Yas, a Água de Coco Del Valle e a Sprite Lemon Fresh. De acordo com Shiratsu, a nova fase é fruto de uma reestruturação que inclui times montados e direcionados por metodologias ágeis, consequência de um processo de transformação digital que inclui uma vice-presidência dedicada ao tema e foco na jornada do consumidor.

Grandes marcas e startups

Da Coca-Cola, também participará do ProXXIma Raquel Scrivano, que é head do KOLab, laboratório de inteligência de dados da empresa de bebidas. Num painel conduzido pela WMcCann, ela vai falar sobre a integração entre criatividade, ciência e dados.

Diversos anunciantes levarão seus cases de inovação ao palco do Golden Hall WTC. Ricardo Dias, VP de inovação da Ambev, vai relatar como a cervejaria incorporou processos de transformação digital, inclusive por meio da aquisição de startups. Ainda sobre esse processo de amadurecimento tecnológico, Igor Puga (diretor de marketing do Santander), Henrique Duda (diretor de e-commerce da Vivo) e Othon Vela (diretor de marketing da Via Varejo) falarão sobre a evolução à frente da indústria de comunicação, debatendo os resultados de um estudo inédito da McKinsey. Icaro de Abreu, head de inovação da IBM, e Heloisa Neves, fundadora da WeFab, vão mostrar como a cultura maker se tornou estratégica para marcas, relatando cases da Ford, Nestlé, Chandon, Fiat, Itaú e Leroy Merlin, e realizando demonstrações ao vivo. Clara Bassi, gerente de data service da martech Match, levará ao palco um trabalho realizado com a Unilever, que renovou seu CRM digital e passou a se comunicar com consumidores de forma mais personalizada.

Entre as startups, além do pitch que concorre ao prêmio oferecido pelo Radar Santander e da feira, com 22 expositores do segmento, duas empresas que nasceram desse ecossistema e viraram gigantes da publicidade dividirão o palco do ProXXIma. Rafaela Gobara, head of marketing do iFood, e Stella Brant, diretora de marketing da 99, vão conversar sobre as perspectivas de crescimento do mercado anunciante ao redor desse universo.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Coca-Cola

  • inovação

  • Nestlé

  • Startups

  • Transformação Digital

Realização