Evento ProXXIma

7 E 8 DE MAIO DE 2019 | GOLDEN HALL WTC - SP

“Criar para a média da população é criar para ninguém”

Sentença de Walter Longo exemplifica como a nova era de conexão traz a necessidade de personalizar as ações e a abordagem respeitando a individualidade das pessoas

Bárbara Sacchitiello
9 de maio de 2019 - 12h15

Walter Longo aponta o fim do uso de critérios medianos para criar produtos, serviços e mensagens às pessoas (Crédito: Denise Tadei)

Embora caminhe para uma grande transformação, a comunicação ainda não saiu da era da Idade Média. A conclusão é de Walter Longo, profissional com décadas de experiência no mercado publicitário e que, atualmente, conduz os negócios da BBL Games. A presença de resquícios de uma época tão distante ainda se faz presente, segundo longo, pelo fato de a indústria da comunicação usar a média como parâmetro para a estrutura da sociedade das relações entre pessoas.

“Por muitos anos, tudo o que fazíamos era orientado pela média da população. Toda nossa cultura foi implementada em cima do mediano. Sempre fomos grupos e nunca indivíduos. Nas salas de aula, por exemplo, há alunos que não conseguem absorver aquele conteúdo, porque a explicação é muito rápida, enquanto outros se entediam pelo fato de captarem o raciocínio com muita rapidez. Mas os professores continuam ensinando para a média”, exemplificou o executivo, que comandou o painel “O Fim da Idade Média e o início da Idade Mídia”, no segundo dia do ProXXIma 2019.

Na visão de Longo, todas as relações humanas, sociais e também mercadológicas começam a se transformar a partir do momento em que as pessoas consideram a individualidade e particularidades de cada indivíduo, saindo, assim, do parâmetro da média para ingressar no da “mídia”, no qual as ações e mensagens devem ser direcionadas e moldadas para cada um.

O profissional aponta como marco da Idade Mídia o lançamento do iPhone, feito pela Apple em 2007. Além do poder da conexão individualizada, o smartphone trouxa às pessoas o conceito das máquinas que vão aprimorando suas funcionalidades e, cada vez mais, ganham novas inteligências, ferramentas e serviços. “A visão de que o imutável pode ser alterado, ampliado e individualizado alteração a relação homem-máquina. Embora os smartphones cumpram as mesmas funções, nenhum aparelho é igual ao outro, pois nós temos aplicativos e serviços que são adequados a cada um de nós”, pontuou.

A evolução do big data e da inteligência artificial serão responsáveis por fazer a transição completa da humanidade e nos negócios para a era da Idade Mídia, na opinião de Walter Longo. E que impacto isso terá na indústria de publicidade e comunicação? “Teremos de mudar completamente nosso modelo de negócios. Criar coisas para a média das pessoas será a mesma coisa de criar para ninguém. Temos que falar com as pessoas de maneira individualizada. Já passou o tempo de nos adaptarmos ao mundo. É o mundo que te de se adaptar a cada um”, definiu.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Conexão

  • Consumo

  • dados

  • Mídia

  • ProXXIma

  • Walter Longo

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”

Realização